Browser não suportado!!!
Para melhor visualização, o Boletim Jurídico recomenda a utilização do Mozilla Firefox ou Google Chrome

 

Marketing Jurídico é Marketing Digital?

Karina Thiemi

Inserido em 11/04/2018

Em algum momento da sua carreira jurídica alguém já deve ter tentando incutir em sua cabeça que marketing jurídico é nada mais do que o marketing digital voltado para área jurídica. Você pode até ter pensado que o marketing digital e o marketing jurídico trariam o mesmo resultado para o seu escritório, ou até mesmo, achou que ambos trabalhassem com a mesma metodologia, certo? Pois neste artigo iremos esclarecer essas questões para que o advogado fique consciente do que cada atuação é e qual a extensão de cada possibilidade.

Muito se fala em marketing digital hoje em dia e obviamente essa é uma ideia que chama muita atenção na hora que falamos em divulgar o escritório: trazer mais clientes, tornar-se um profissional reconhecido no mercado, entre outras promessas. Porém, volto com a pergunta que dá título ao artigo: marketing jurídico é marketing digital?

No dia a dia de nossa empresa, nos deparamos com muitos advogados reclamando que investiram no marketing e não tiveram o retorno esperado. Porém, quando vamos investigar a fundo o que ocorreu, vemos que eles trabalharam com apenas uma das mais de 50 ferramentas possíveis para se trabalhar no marketing jurídico. Então aqui fica muito clara a resposta: infelizmente você apostou seu fôlego financeiro apenas no marketing digital, uma entre as 50 possibilidades de atuação no marketing jurídico.

Muitas vezes o marketing digital acaba sendo escolhido pelos escritórios, por falta de pesquisa e conhecimento sobre o assunto “Marketing Jurídico” e aí que mora o “X” da questão e onde faço esse alerta. Marketing digital não é marketing jurídico completo e essas escolhas erradas refletem diretamente no resultado de um trabalho voltado ao resultado.

Investir exclusivamente no marketing digital é como olhar pelo buraco de uma fechadura e enxergar apenas parte de seu potencial estrutural e prospectivo, sem ver o cenário completo. Ainda fazendo uma outra analogia: sabe quando temos um torcicolo e só conseguimos olhar para um lado, sem mexer o pescoço? Isso seria o marketing digital, onde só conseguimos olhar com uma perspectiva única, sem conseguir visualizar 360º o que acontece na totalidade.

Agora pare para pensar. Você realmente acredita que só investir em redes sociais (impulsionar postagens, ganhar seguidores, etc.) vai mesmo trazer novos clientes? Você acha que “funil de venda” se encaixa com a advocacia? Que sair distribuindo e-books é o único caminho possível para gerar novos negócios? Advocacia sempre foi e sempre vai ser uma profissão de olho no olho, advogado e cliente.

Certamente o marketing digital tem sua importância e é uma ferramenta forte no marketing jurídico completo, mas para que um projeto de marketing dê resultado efetivo, é preciso fazer uma análise completa do escritório em cima de sua atuação, objetivos, áreas de atuação e perfil no mercado, trazendo soluções que envolvam o “on” e o “offline” e não apenas olhar digitalmente para qualquer solução.

Feito o alerta, se certifique bem da sua escolha. O marketing jurídico bem trabalhado atua de forma precisa e completa, com as ferramentas adequadas e amplas e trabalha com pontos essenciais para atingir o objetivo que os escritórios buscam. Um método poderoso que auxilia a alavancar milhares de profissionais da área jurídica de forma concreta.

Karina Thiemi é analista de marketing da Inrise Consultoria, formada em Publicidade e Propaganda pela Universidade Cruzeiro do Sul.

Inserido em 11/04/2018
Esta página já foi acessada 136 vezes.

Comentários