Browser não suportado!!!
Para melhor visualização, o Boletim Jurídico recomenda a utilização do Mozilla Firefox ou Google Chrome

Portal Boletim Jurídico - ISSN 1807-9008 - Brasil, 11 de novembro de 2019

Necessidade do estudo da Oratória para o profissional do Direito

 

André Ricardo de Oliveira Rios

 

O estudo e o conhecimento da oratória , para os profissionais do Direito e um fator primordial para o bom desempenho da advocacia.
Muitos pensam que isso só serve aos advogados de júri, promotores públicos , juizes, se enganam , pois em quase todas as áreas o advogado pode fazer defesa oral, tem de despachar com juizes , etc.
A maioria dos estudantes de direito tem dificuldade de se expressar em publico, ficam nervosos, sentem medo, não conseguem passar o que realmente pensam.Existem advogados formados que exercem a profissão buscando cursos de Oratória , para superar o medo de falar em publico.
Fato que deveria ser inerente ao curso de Direito, sou a favor da opinião , que o estudo da Oratória deveria ser uma das amterias do curso de Direito.
Não na busca de notáveis oradores, mas sim, porque a pratica da oratória gera mudanças espontâneas em nosso comportamento. Mudanças positivas, pois adquirimos plena confiança em nos mesmos , aumentando nossa autoconfiança.

Gosto sempre de citar ensinamentos do Mestre - João Meirelles Câmara, grande advogado de júri, professor de oratória e escritor."Ele sempre diz que só o ser humano e capaz de falar e pensar. Mas falar pensando e pensar falando e privilegio de alguns. E somente em um estagio mais adiantado de desenvolvimento humano , as pessoas conseguem alcançam esta etapa de melhor aproveitamento da inteligência".

O conhecimento das técnicas de Oratória, facilita nosso poder de argumentação, qualidade que todo advogado necessita para alcançar êxito na sua vida profissional .Nos grandes oradores , os estudantes e profissionais de Direito podem reconhecer grandes exemplos de caráter , profissionalismo, exemplos de moral, de coragem, de atitude, tais como:

Platão, Sócrates , Cícero, O apostolo Paulo de Tarso (São Paulo) , Rui Barbosa, Ghandi, Martin Luther King.

Também percebemos o poder que tem a palavra , quando levada para o lado negativo. Como Hitler, Mussolini, Stalin, Napoleão, foram grandes oradores.
Gosto de citar o nome do Secretario da educação de São Paulo, Gabriel Chalitta, como ícone de um grande orador , pois ele tem muito conhecimento , e uma oratória que serve de exemplo, aos que buscam apreender nessa área.
Concluindo, gosto de salientar que todos têm de buscar conhecimento, mesmo que básico, no estudo da Oratória, estudo esse, que abre um leque amplo de conhecimento aos que bebem na sua fonte.

Envie sua colaboração

André Ricardo de Oliveira Rios

André Ricardo de Oliveira Rios, quarto anista de Direito, trabalhou no jurídico do banco Itaú, na Prefeitura de São Paulo e na secretaria da Juventude , Esporte e Lazer de São Paulo.Desenvolve seus estudos com ênfase na área Penal.
Email: [email protected]

Inserido em 11/02/2004

Parte integrante da Edição no 64

Código da publicação: 211

Ferramentas

Este artigo já foi acessado 17105 vezes.

Versão para impressão

Citação deste artigo, segundo as normas da ABNT:

RIOS, André Ricardo de Oliveira. Necessidade do estudo da Oratória para o profissional do DireitoBoletim Jurídico, Uberaba/MG, a. 2, no 64. Disponível em: <https://www.boletimjuridico.com.br/ doutrina/artigo/211/necessidade-estudo-oratoria-profissional-direito> Acesso em: 11  nov. 2019.

Atenção

As opiniões retratadas neste artigo são expressões pessoais dos seus respectivos autores e não refletem a posição dos órgãos públicos ou demais instituições aos quais estejam ligados, tampouco do próprio BOLETIM JURÍDICO. As expressões baseiam-se no exercício do direito à manifestação do pensamento e de expressão, tendo por primordial função o fomento de atividades didáticas e acadêmicas, com vistas à produção e à disseminação do conhecimento jurídico.